Friday, June 01, 2007

APELO DE PROFESSOR!!!-Quem tem Fotografia do Padre Jorge de Barros Duarte, autor de "Menino de Timor"?


"APELO"

Um dos nossos professores quer dar uma aula analisando e lendo este poema do Senhor Padre Jorge de Barros Duarte e mostar a sua fotografia com o fim dos nossos jovens começarem a estar conscientes da existência dos nossos autores. Já tentei várias fontes mas... para azar nosso ninguém tem . Será que os nossos leitores nos podem ajudar?
É por uma boa causa: Divulgação dos valores Timorenses junto dos nossos estudantes...
Se alguem tiver agradeço que o enviem para o meu email.

Aqui vai o meu email : maracuja_maduro@yahoo.com.au

Bem Hajam

Maracujá

Para os que não leram, aqui vai de novo o poema do Padre Jorge de Barros Duarte

"MENINO DE TIMOR"

Menino de Timor, estás triste?!...
Porquê?!... - Não tenho com quem brincar!
Nem com quem!... Já nem posso falar!...
A minha terra correste e viste

Como só há silêncio e tristeza!...
Assim é na palhota que habito!...
Já nem oiço na várzea um só grito!...
Só vejo gente que chora e reza!...

Que saudade que eu tenho dos jogos
Da minha aldeia agora deserta!...
O "La'o-rai", que a memória esperta,
Co'as pocinhas na terra, ora a fogos

Mil sujeita!... O "caleic" também era
jogo apreciado da pequenada:
"Hana-caleic"!... de tudo já nada
Resta agora!... Só vejo essa fera

De garra adunca e dente aguçado
A rugir tão feroz que ninguém
A doma já, pois tem medo não tem
De um povo à fome, sem horta ou gado!...

Menino, sou, mas sofro já tanto
Como se fora de muita idade
E co'a alma cheia só de maldade!...
Jesus, tem pena deste meu pranto!...

Jesus Menino, dá-me alegria!...
Se na minha terra é tudo tão triste!...
Gente tão má neste mundo existe?!...
Coisas assim tão ruins?!... Não sabia!...


Para os que o conhecem, recordemos o nosso Padre Jorge de Barrros Duarte. Para aqueles que náo sabem de quem se trata , pois creio que aqui fica a sua apresentação.... ainda que incompleta ..... Figura bem carismática de Timor-Leste é autor deste poema: Menino de Timor!...É um nome que deve sempre constar dos nomes de destaqe da poesia de Timor ou melhor dizendo de Lingua Portuguesa. Ele sentiu Timor com sensibilidade tal, que o mesmo deve ser notada.. Padre Jorge Barros Duarte , é natural de Same . Jorge de Barros Duarte nasceu em Same, Timor Oriental, em 1912. Aos 11 anos , foi para Macau, onde tirou o curso de Teologia no seminário de S. José. Em 1956 está de novo em Timor, onde ensina no seminário de Nossa Senhora de Fátima e no Liceu Dr Francisco Vieira Machado, tendo sido o vogal do Conselho do Governo e, em 1956 a 1961, publicou alguns ensaios na Revista SEARA, de que era Director. Em 1980, publica “ Ainda em Timor” (Ed. GATIMOR, Lisboa), análise da situação política em Timor, de 25 de Abril de 1974 até 1980. Este trabalho despertou o interesse da Biblioteca do Congresso Americano, estando a ser traduzido para inglês (na Austrália). Muito recentemente, publicou “EM TERRAS DE TIMOR” ( a acção das missões Católicas daquela ex–colónia portuguesa e as suas relações com relações com o Estado Português, 1875 a 1975); Entretanto dedicou-se igualmente a investigação antropológica em Timor Oriental, tendo, neste domínio, publicado:
CASA TURI-SAI9Ed. Inv. Cient. Ultramar); BARLAQUE( CASAMENTO GENTÍLICO TIMORENSE ( Ed. F.C. Gulbenkian, Paris, 1979)TIMOR: FORMAS DE FRATERNIZAÇÃO ( Ed. F.C.Gulbekiaan, Paris 1982); TIMOR-RITOS E MITO ATAÚROS ( Ed. Instituto Cult. e Língua Portuguesa, Lisboa, 1982, esgotada).

Em TIMOR-UM GRITO, o autor faz uma análise da situação política de Timor-Leste, resultante da sua descolonizacão por Portugal e posterior invasão pela Indonésia, á luz de novos dados e da evolução dos acontecimentos ali passados desde 1975 até agora, ainda não suficientemente estudados.

Uma abraço

Maracujá

3 comments:

Anonymous said...

SINHO PLIMEIRO MINISTRO

EGGCELENCIE

EU, MAUDICKINHO, DE 11 ANUS DE IDADE, NATURAL DO TERRA DE DILI, CENTRO, PERTO CHINA LORICO, LADO CHINA APIAN, MAUDEROKE, TRASEIRO DE BASSAREWA FAMILIA, VEM MUTO RESPETOSAMENTE REQUERER O SUA GRACA, DA-ME UM POQUINHO DE CACAU, DO FUNDO DO MINA-RAI, QUE EU NAO BEJO, MAS MINHA PAI MAU DICK, DIZ TEM.

EU CRIANCA PEQUENO, NAO QUER ANDAR PATA DESCALCA, VENDER FRUTA
OU CARTAO DO TELESEN.
EU OUVIO SENHOR E COLEGA DO MINHA PAI E EU PEDE ELE METE UM CUNHAZINHO.
EU QUER COMPRAR HOTEL TIMOR PARA FAZER TURISTA VEM NO MEU TERRA.

DESCULPA O MINHA PALAVRA PORTUGUES POIS EU SO AGORA ANDA NO SEGUNDO GRAU DE LINGUA.

PEDE FAVOR GRANDE SINHO APROVAR


MUTO RESPETO

MAU DICKINHO

Anonymous said...

Monsenhor Jorge Barros Duarte foi um dos seminaristas mais brilhantes que passaram pelo Seminario de S. Jose em Macau. Tirou o curso de Filosofia com 18 valores e a sua nota mais baixa durante os quatro anos de Teologia foi 18 valores na Escritura Sagrada.

Logo apos a sua formatura, o Bispo da Diocese de Macau quis que ele fosse doutorar-se na Universidade Gregoriana de Roma, mas o seu zelo missionario levou-o a declinar tao honroso convite para poder regressar a sua patria, Timor.

Anonymous said...

Gostei de ler a poesia do Padre Jorge Barros Duarte e do que o Senhor Maracuja escreveu sobre esse misionario que foi um dos grandes educadores em Timor-Leste. Espero que o Senhor Maracuja escreva mais sobre timorenses de valor para que a nossa juventude conheca os seus conterraneos que se notabilizaram em no saber ou na accoes.

Bem haja, Senhor Maracuja!..