Tuesday, March 27, 2007

" Vamos cantar a Paz" de Mau Dick




VAMOS TODOS CANTAR A PAZ

POIS UNIDOS O CANTO REINFORCA

ESTA NECESSIDADE DO MOMENTO

DE QUE A UNIAO FAZ A FORCA



CANTEMOS EM VOZ BEM ALTA

PARA QUE NOS OUCAM NO PARAISO

CANTEMOS DE CORPO ERGUIDO

CABECA LEVANTADA E GRANDE SORRISO



CANTEMOS A PAZ HOJE E AMANHA

PARA SEMANA, PR'O MES E, SEMPRE

CANTEMOS COM VOZ GROSSA OU FINA

CANTEMOS O QUE A NOSSA ALMA SENTE



E QUANDO ESTIVERMOS CANSADOS

CANTEMOS AINDA MAIS ALTO

PARA QUE NINGUEM TENHA DUVIDAS

NA PLANICE OU NO PLANALTO



QUANDO FICARMOS ROUCOS

PEDIMOS EMPRESTADO NOVA VOZ

PARA MOSTRARMOS A TODO O MUNDO

QUE EM TIMOR NAO ESTAMOS SOS



VAMOS TODOS CANTAR A PAZ

COM TODA AQUELA GARRA E APRUMO

PARA QUE O NOSSO QUERIDO PAIS

INICIE HOJE UM NOVO RUMO



UM ABRACO


MAU DICK

(ESTE POEMA DEDICO AO PADRE APOLINARIO E MANO AKAI, COMPANHEIROS DE SOFRIMENTO NO SEMINARIO DE LALIAN EM 1975/76)

5 comments:

Anonymous said...

PUDIM 9 DE ABRIL

500G DE FRUTA DA EPOCA (HORTA/LASAMA/CARRASCALAO/XAVIER/LOBATO/TILMAN/LU-OLO/COELHO)
125G DE BOM SENSO
UMA SAQUETA DE PACIENCIA
0.5L DE ENERGIA
DUAS COLHERES DE SOPA DE SORRISOS
50G DE HUMOR

COZEM-SE AS FRUTAS COM BOM SENSO E,COM MUITA PACIENCIA E REDUZEM-SE A PURE.DISSOLVE-SE OS SORRISOS COM MUITO ENERGIA.QUANDO CHEGAR AO PONTO DE EBULICAO ABRABDA-SE O LUME,MEXE-SE BEM.
NUM TIMOR UNTADO, VAI-SE COLOCANDO CAMADAS ALTERNADAS DE CREME E FRUTA.COBRE-SE COM MUITO HUMOR E LEVA-SE AO FRIGORIFICO PARA NAO SE LEVANTAR A TENSAO.
O RESULTADO E CONHECIDO NA SEMANA SEGUINTE.

UM ABRACO

MAU DICK

Anonymous said...

Ora vejam só a sacanisse do Lino Lopes. Um camionista oportunista. Determinado candidato presidencial quis alugar as suas camionetas para transporte de pessoal para a sessNao de esclarecimento e o safado aldrabaou que estava tudo ocupado. Grande mentira, ninguem tinha alugado as camionetas ele é que boicotou o adversário de Lucia Lobato , e adalbrou em como estava tudo alugado. O safado ja se esqueceu dos favores e da ajuda que esse seu amigo ( quando lhe convem e precisa é amigo) lhe ajudou muito, bastante ....e ão digo mais nada... Ele e um falso oportunista, não admira que ele esteja rico....

Kuda Mutin de Suai

Anonymous said...

Mau Dick, parabens pela linda poesia!..

António Veríssimo said...

Olá Maracujá e Amigos

Já percebi que essa saúde se está lentamente a recompôr, pelo que me regozijo.

Como faço questão de dar o meu contributo neste "cantinho de gente simpática" e me falta a inspiração para fazer algo apresentável, terei de recorrer a poemas conhecidos, que me agradam e espero que vos agrade.

É um poema de Reinaldo Ferreira - filho do famoso Reporter X, jornalista do mesmo nome - um letrado de boas famílias, nascido em Barcelona (1922) e que com apenas 19 anos escolhe Moçambique para viver. Faleceu com 37 anos apenas, vítima de cancro no pulmão, na cidade de que tanto gostava: Loureço Marques.

Considero a "Menina dos Olhos Tristes" um poema muito belo pela simplicidade e pelo seu significado.
Muitos outros também assim o consideraram, musicando-o e transformando-o numa linda e melódica canção que espero conheçam.

MENINA DOS OLHOS TRISTES

Menina dos olhos tristes,
O que tanto a faz chorar?
- O soldadinho não volta
Do outro lado do mar.

Senhora de olhos cansados,
Porque a fatiga o tear?
- O soldadinho não volta
Do outro lado do mar.

Vamos, senhor pensativo,
Olhe o cachimbo a apagar.
- O soldadinho ão volta
Do outro lado do mar.

Anda bem triste um amigo,
Uma carta o fez chorar.
- O soldadinho não volta
Do outro lado do mar.

A Lua, que é viajante,
É que nos pode informar.
- O soldadinho já volta
Do outro lado do mar.

O soldadinho já volta,
Está quase mesmo a chegar.
Vem numa caixa de pinho.
Desta vez o soldadinho
Nunca mais se faz ao mar.

Não quero terminar sem deixar um abraço amigo e votos de boa e rápida recuperação do maldito Dengue.
Já agora fiquem com mais umas breves linhas de Reinaldo Ferreira e observam como ele era simples.

Mínimo sou,
Mas quando ao Nada empresto
A minha elementar realidade
O Nada é só o Resto.

REINALDO FERREIRA

Anonymous said...

O padre Apolinário a que dedica o poema será o mesmo que em Atambua massacrou, torturou e traumatizou vários jovens que hoje são homens casados e que só não o matam porque ainda não calhou? Mas está a ser escrito um livro sobre isso tudo, graças a Deus. E já tem título: "OS MENINOS DE ATAMBUA"