Wednesday, March 21, 2007

"Menino de Timor" de Padre Jorge Barros Duarte





Menino de Timor

Menino de Timor, estás triste?!...
Porquê?!... - Não tenho com quem brincar!
Nem com quem!... Já nem posso falar!...
A minha terra correste e viste

Como só há silêncio e tristeza!...
Assim é na palhota que habito!...
Já nem oiço na várzea um só grito!...
Só vejo gente que chora e reza!...

Que saudade que eu tenho dos jogos
Da minha aldeia agora deserta!...
O "La'o-rai", que a memória esperta,
Co'as pocinhas na terra, ora a fogos

Mil sujeita!... O "caleic" também era
jogo apreciado da pequenada:
"Hana-caleic"!... de tudo já nada
Resta agora!... Só vejo essa fera

De garra adunca e dente aguçado
A rugir tão feroz que ninguém
A doma já, pois tem medo não tem
De um povo à fome, sem horta ou gado!...

Menino, sou, mas sofro já tanto
Como se fora de muita idade
E co'a alma cheia só de maldade!...
Jesus, tem pena deste meu pranto!...

Jesus Menino, dá-me alegria!...
Se na minha terra é tudo tão triste!...
Gente tão má neste mundo existe?!...
Coisas assim tão ruins?!... Não sabia!...


Para os que o conhecem, recordemos o nosso Padre Jorge de Barrros Duarte. Para aqueles que náo sabem de quem se trata , pois creio que aqui fica a sua apresentação.... ainda que incompleta ..... Figura bem carismática de Timor-Leste é autor deste poema: Menino de Timor!...É um nome que deve sempre constar dos nomes de destaqe da poesia de Timor ou melhor dizendo de Linuga Portuguesa. Ele sentiu Timor com sensibilidade tal, que o mesmo deve ser notada.. Padre Jorge Barros Duarte , é natural de Manaturo, e creio que veio a falecer em Portugal nos anos 60s. Era mais conhecido em Timor como apenas " Padre Jorge de Motael". Foi pároco da igreja de Motael em Dili. É autor de varios ensaios sobre Timor-Leste, e fez várias recolhas sobre as lendas e mitos que sempre acompanharam o povo titmorense um povo or demasi supersticioso onde cada pedra e cada árvore tem uma história mística a ser contada!
Pois encontrei este poema do Padre orge de Motael que connvosco quero partilhar... e digam-me lá se o que ele diz não é tão actual como quando o escreveu... Talvez nos anos 50s... De momento pouco tenho sobre o Padre Jorge, mas prometo que num futuro próximo mais poderei oferecer-vos nesta página.

Uma abraço

Maracujá

3 comments:

António Veríssimo said...

Maracujá OLÁÁÁ!

O menino de Timor é bonito, sentido, mas fez-me lembrar um amigo de Timor que há muitos anos me ofereceu um poema (inha) que contava algo da sua existência.
Esse amigo já não está entre nós (era de Alas) mas conservo esta coisa simples dele que, neste dia, que é de poesia (sabiam?), considero dever atrever-me a tornar público.
O João não deu título "aquela coisa", mas eu atrevi-me a dar...
Aqui vai.


SENTIMENTOS MAIÚSCULOS


EU HOJE SÓ QUERO SER EU
EXPERIMENTAR SER FELIZ
COMO O AVÔ DIZ E ACONSELHA
QUERO ESTAR LONGE DA VELHA
QUE ESTÁ CHATA
QUE AMO E ME PARIU NA MATA
PRIMEIROS OLHOS QUE VI
PRIMEIRO ABRAÇO TAMBEM
FOI ESPECIAL E POUCO A CONHECI
É MINHA MÃE



JOÃO SOARES (Alas 1969)

Anonymous said...

Neste dia de poesia
E em jeito auxiliador
Vou tentar uns versinhos
Para todos em Timor

Vem ai as Presidenciais
Comeca amanha a algazarra
Espero que ganhe o melhor
De uma lista tao bizarra

Nao apanhei malaria
Nem tao pouco dengue mortal
Estive simplesmente ausente
Carregando baterias no arsenal

A 9 de Abril esteja presente
Vote no seu candidato
Timor precisa de todos
E tambem deste Ze Pato


Um Abraco

Mau Dick

Anonymous said...

Padre Jorge Barros Duarte,autor do Menino de Timor.Lembro-me bem dele! Foi ele que me baptizou na Igreja de Motael em 1956!
Ze Cinico